Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

terça-feira, 20 de novembro de 2012

Hamas faz exigências para trégua com Israel

Khaled Meshaal
Com Gaza sob ataque, o líder do movimento islâmico Hamas, Khaled Meshaal diz que é Israel quem deve dar o primeiro passo para colocar um ponto final no conflito. UE pede "cessar-fogo imediato".

O líder exilado do movimento islâmico Hamas, Khaled Meshaal, afirmou hoje que uma trégua no conflito na Faixa de Gaza depende de Israel e advertiu que uma ofensiva terrestre "será mortal" para as tropas israelenses.

"Israel pediu uma trégua e nós não", disse Meshaal numa conferência de imprensa no Cairo, Egito, acrescentando que o Hamas não aceita "nenhuma condição israelense".

"Estamos empenhados numa trégua, mas Israel tem de parar com a agressão", disse o líder do movimento que controla a Faixa de Gaza desde 2007.

O dirigente palestino assegurou que o Hamas não quer "uma escalada da violência, nem convidar o inimigo para uma guerra terrestre".

"Israel ameaça com uma guerra terrestre, mas sabe que essa guerra não vai ser um passeio, vai ser mortal", advertiu, assegurando que "a moral da população de Gaza e da resistência (Hamas) está muito alta".

Apelo à união de palestinos

O líder do Hamas deixou um apelo a que todos os grupos palestianos para terminarem com as suas diferenças e se unam sob uma única visão, em alusão à divisão entre o Hamas na Faiza de Gaza e a Fatah na Cisjordânia, do presidente Mahmoud Abbas.

O Hamas e a Fatah, as duas principais fações nacionais palestina travam há vários anos uma enorme disputa. Mas hoje representantes das fações rivais anunciaram ter terminado as querelas em solidariedade pela crise em Gaz, avança a France Press.

Khaled Meshaal pediu aos países árabes que elaborem "uma nova estratégia sólida e realista, coerente com a situação na região após a primavera árabe, para resolver o conflito israelo-palestino".

Ao sexto dia de bombardeamentos, UE pede cessar-fogo imediato
A ofensiva israelita "Pilar Defensivo", hoje no sexto dia de bombardeamentos, provocou a morte a pelo menos 99 pessoas, 96 palestinianos e três israelitas, e ferimentos em mais de 900.

Desde quarta-feira, o exército israelita realizou mais de 1.350 ataques contra objetivos na Faixa de Gaza e as milícias palestinianas lançaram mais de 900 mísseis contra Israel.

Enquanto o Egito está a tentar mediar a trégua, os ministros dos negócios estrangeiros da União Europeia pediram hoje um "cessar-fogo imediato" e manifestaram o seu apoio aos esforços egípcios.
 
CoisasJudaicas
DeOlhOnafigueira 
 
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário