Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

quarta-feira, 21 de novembro de 2012

Continuam bombardeios israelenses em Gaza

Negociações para acordo de cessar-fogo não prosperam nesta terça.

Fumaça em Gaza após ataque em novembro de 2012
Fumaça em Gaza após ataque na última sexta-feira
Passada a meia-noite desta terça-feira continuam os bombardeios israelenses sobre a Faixa de Gaza, apesar das informações que apontavam a possibilidade que a essa hora (20h de Brasília) entraria em vigor um cessar-fogo entre Israel e os grupos armados da Faixa.

Segundo a Agência Efe pôde constatar, poucos minutos depois da 0h local, na Cidade de Gaza foram escutadas dezenas de explosões de grande potência que depois cessaram para dar passagem a um silêncio quebrado ocasionalmente por alguma outra detonação mais fraca.

Nesta tarde e na primeira hora da noite os bombardeios sobre a faixa palestina foram incessantes e o lançamento de foguetes das milícias palestinas contra Israel também não parou.

O ministro das Relações Exteriores turco, Ahmet Davutoglu, havia garantido hoje à agência de notícias turca 'Anadolu' que a trégua entraria em vigor à meia-noite, durante sua visita a Gaza junto a um grupo de colegas árabes.

O próprio presidente egípcio, Mohammed Mursi, assegurou que 'a farsa da agressão israelense contra Gaza terminará hoje'.

Após assistir ao funeral de sua irmã, Mursi declarou, segundo a agência oficial egípcia 'Mena', que os esforços desdobrados pelo Egito para conseguir um cessar-fogo entre palestinos e israelenses dariam 'resultados positivos nas próximas horas'.

No entanto, fontes israelenses consultadas pela Efe declararam a menos de duas horas do início da suposta trégua que 'não há nenhum acordo israelense sobre uma fórmula para alcançar um cessar-fogo'.

No Cairo, onde se desenvolveram nos últimos dias as negociações para forjar um acordo de cessar-fogo, um responsável do Hamas, que pediu anonimato, assinalou hoje que a cessação de hostilidades era 'iminente'.

O membro do escritório político do movimento islamita, Izzat Rishq, negou, no entanto, em sua conta no Twitter que já haja um acordo para a cessação das hostilidades.

'Não se chegou a um acordo até agora e talvez não se possa conseguir um acordo esta noite. Todas as opções estão abertas e nosso povo e a resistência estão preparados para todas as probabilidades', comentou.

Por sua vez, o primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, não fez referência expressa à existência de um cessar-fogo em entrevista coletiva conjunta nesta noite com a secretária de Estado americana, Hillary Clinton.

Desde que começou na quarta-feira passada a ofensiva israelense 'Pilar Defensivo' morreram 130 palestinos e cinco israelenses.
 
Exame
DeOlhOnafigueira 

Nenhum comentário:

Postar um comentário