Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

sábado, 30 de agosto de 2014

Netanyahu: "palestinos devem escolher entre a paz e o Hamas"

Premier teria aceitado encerrar hostilidades por causa de outras ameaças regionais

O premier de Israel, Benjamin Netanyahu, disse neste sábado na TV que aceitou encerrar as hostilidades na Faixa de Gaza para manter recursos frente a outras potenciais ameaças na região.

"Combatemos por 50 dias, e poderíamos ter continuado por 500, mas estamos em uma situação em que temos o Estado Islâmico às portas da Jordânia, a Al-Qaeda no Golã, e o Hezbollah na fronteira com o Líbano", disse Netanyahu em uma entrevista à TV pública exibida na noite deste sábado.

"Decidimos não nos afundar mais em Gaza e nos limitar ao nosso objetivo: recuperar a calma para os cidadãos de Israel", acrescentou.

Netanyahu pediu ao presidente da Autoridade Palestina, Mahmud Abbas, que escolha entre negociar a paz com Israel ou o movimento islâmico palestino Hamas: "Os palestinos têm que entender que devem escolher entre a paz e o Hamas."

sexta-feira, 29 de agosto de 2014

Jihad islâmica desafia Israel com desfile entre as ruínas em Gaza

Militantes palestinos fizeram desfile comemorando 'vitória' sobre Israel.
Os milicianos desfilaram com roupa militar e armas erguidas.


Militantes palestinos da jihad islâmica fazem desfile em Gaza celebrando vitória sobre Israel nesta sexta-feira (29) (Foto: Ibraheem Abu Mustafa/Reuters)
Militantes palestinos da jihad islâmica fazem desfile em Gaza celebrando vitória sobre Israel nesta sexta-feira (29) (Foto: Ibraheem Abu Mustafa/Reuters)
Milhares de combatentes da jihad islâmica desfilaram nesta sexta-feira (29) em Gaza, em um gesto de desafio três dias depois do cessar-fogo que pôs fim a uma sangrenta guerra entre Israel e milicianos em Gaza.

Os milicianos desfilaram com roupa militar e armas erguidas, assim como todo tipo de foguete que foram lançados contra Israel durante o conflito que durou 50 dias.

quinta-feira, 28 de agosto de 2014

Confederação Mulçumana (do Anticristo?) é anunciada na Turquia

Primeiro-ministro da Turquia, Recep Tayyip Erdogan
Em uma cobertura incrível que só saiu hoje, e que foi publicado em todo o mundo muçulmano, incluindo até mesmo na versão árabe da CNN, o presidente da União Internacional de Sábios Muçulmanos, Sheikh Yusuf al-Qaradawi, que sua união representa o maior corpo de estudiosos muçulmanos em todo o mundo, e em seu nome acaba de anunciar na Turquia, que:

"O Califado na era de hoje deve ser estabelecido através de SÉRIE DE VÁRIOS ESTADOS GOVERNADOS PELA SHARIA, e apoiado por ambas autoridades e o povo na forma de uma federação ou confederação, E NÃO COMO ERA NO PASSADO."


Por isso, a união muçulmana de estudiosos liderados por Qaradawi está estabelecendo a precedência teológica, anunciando que uma confederação futura de nações muçulmanas devem e serão criadas e centrada na terra do califado muçulmano na Turquia.

quarta-feira, 27 de agosto de 2014

Israel e palestinos discordam sobre negociações após cessar-fogo; entenda

Gaza (AFP)
Grupos de direitos humanos alertam para a situação dos civis de Gaza após o conflito
Israel e militantes palestinos na Faixa de Gaza chegaram a um acordo de cessar-fogo, interrompendo o conflito mais violento na região nos últimos anos.

Após difíceis negociações, ambos os lados concordaram com um acordo mediado pelo Egito. Este não é o primeiro cessar-fogo desde que Israel iniciou sua ofensiva em Gaza em 8 de julho - diversos acordos foram acertados, mas tiveram curta duração.
No entanto, este cessar-fogo não tem prazo para terminar. Após 50 dias de conflito, a percepção de analistas é de que há agora mais vontade - e cansaço - em ambos os lados para colocar um fim definitivo à recente sequência de ataques.

Divergências sobre o que será discutido a seguir ameaçam, porém, reascender a tensão entre os dois lados.

Veja outros pontos sobre a história do conflito em Gaza:

terça-feira, 26 de agosto de 2014

Israel e Hamas acordam cessar-fogo duradouro

Israel, Palestina, trégua
O movimento Hamas, sob cujo controle se encontra a Faixa de Gaza, e Israel chegaram hoje, dia 26 de agosto, a um acordo sobre uma trégua de longo prazo, informa a Associated Press, citando um representante não identificado do Hamas.

A agência observa que uma declaração oficial a este respeito será emitida hoje mais tarde.

O canal de televisão inter-árabe Al-Arabiya dispõe igualmente de informação acerca de um entendimento sobre o cessar-fogo de longo prazo. Por sua vez, o jornal israelense Haaretz, referindo-se a um dos líderes do Hamas, Ismail Haniya, afirma que as partes "estão perto de chegar a um entendimento".

Conforme relatos anteriores, as delegações palestina e israelense mantêm negociações no Cairo com mediação egípcia.

Voz da Rússia
DeOlhOnafigueira

Irã vai armar palestinos, depois de derrubar drone israelense

O general Amir-Ali Hajizadeh em entrevista coletiva em Teerã
Teerã vai acelerar o envio de armas à Cisjordânia, em resposta ao uso de um drone espião israelense no Irã, que foi abatido, anunciou um comandante da Guarda Revolucionária.
 
"Vamos acelerar o fornecimento de armas a Cisjordânia e nos reservamos o direito de dar qualquer resposta ao envio de um avião não tripulado israelense do tipo Hermes, abatido quando se aproximava da central de enriquecimento de urânio de Natanz", declarou o general Amir Ali Hajizadeh, segundo o site oficial Sepahnews.com.

A televisão iraniana exibiu imagens de destroços que pareciam corresponder a um avião não tripulado.

O Irã, que não reconhece a existência do Estado de Israel, afirmou nas últimas semanas que forneceu aos combatentes palestinos do Hamas e da Jihad Islâmica a tecnologia necessária para a fabricação de mísseis destinados a bombardear cidades israelenses a partir de Gaza.

segunda-feira, 25 de agosto de 2014

Sobreviventes do Holocausto assinam nota contra 'genocídio' em Gaza'

Protesto nos EUA
A violência na Faixa de Gaza vem provocando fortes reações nos Estados Unidos
Mais de 300 sobreviventes do Holocausto e seus descendentes lançaram uma nota condenando o que chamam de "genocídio" de Israel na Faixa de Gaza.

A Rede Internacional Judaica Antissionista (Rija) publicou o manifesto como um anúncio pago no jornal americano The New York Times.

A nota é uma reação ao anúncio publicado por outro sobrevivente da perseguição na Alemanha de Adolf Hitler, Elie Wiesel, que comparou o movimento palestino Hamas ao nazismo.

Mais de 2.000 pessoas já morreram na atual onda de violência na Faixa de Gaza, na sua maioria, civis palestinos.

Jornal italiano refere que Francisco é um alvo do Estado Islâmico

  Jornal italiano refere que Francisco é um alvo do Estado Islâmico
 
O artigo cita fontes israelitas que acreditam que o papa Francisco é um alvo por ser "portador de uma verdade falsa".

A mesma notícia cita também "fontes dos serviços de informações italianos" referindo que Itália é um ponto de partida dos "combatentes da guerra santa do Islão" e que "o desembarque contínuo de emigrantes acaba por provocar a formação de uma base para os extremistas no Ocidente".

O jornal conservador Il Tempo alerta também para o fato de o autoproclamado califa do Estado Islâmico. Abu Bakr Al Baghdadi, "querer superar a Al-Qaeda e os feitos do 'chefe do terror', Ossama bin Laden".

domingo, 24 de agosto de 2014

A decapitação do jornalista James Foley: o que a mídia não está dizendo a você

A cena é forte. Um americano foi degolado por um membro da organização terrorista EIIL (Estado Islâmico no Iraque e Levante). A cena foi filmada e divulgada com o objetivo de retaliar os recentes ataques aéreos dos EUA contra terroristas do EIIL.
James Foley: ativista esquerdista pró-islamismo e anti-Israel
James Foley era um americano esquerdista que acreditava que o islamismo é uma religião de paz e amor. A revista FrontPage disse que Foley era de uma nova espécie de ativistas que se autointitulam jornalistas. Por isso, ele não havia ido ao Oriente Médio para noticiar, mas para promover sua agenda. E essa agenda era evidente a partir do que ele mesmo dizia publicamente pelo Twitter.

sábado, 23 de agosto de 2014

Suposta rede do Hamas pretende derrubar a Autoridade Palestina, diz inteligência de Israel

Para Israel, os líderes do grupo recrutaram dezenas de pessoas para a tomada do poder

Militantes do Hamas participam de um protesto contra Israel
Uma mobilização do Hamas planeja desestabilizar a região de Gaza por meio de uma série de ataques terroristas em Israel e derrubar a Autoridade Palestina (governada pelo grupo da oposição, Fatah), informou nesta segunda-feira (18) a ASI, (Agência de Segurança de Israel).

Ainda segundo a ASI, as matrizes do Hamas na Turquia organizam os ataques contra alvos israelenses e palestinos, para alterar ânimos e usar a instabilidade para dar um golpe militar, derrubando o governo de Mahmoud Abbas, presidente da Autoridade Palestina.

De acordo com o jornal The Jerusalem Post, o Hamas conta com o apoio de grupos da Jordânia, que enviam dinheiro aos militantes pelo correio. Segundo a investigação, o grupo tem pelo menos R$ 1 milhão e 300 mil (dois milhões de shekels novo, a moeda israelense). O dinheiro é utilizado para comprar armas e casas, que são usadas como esconderijos.

Segundo informação da ASI, 93 membros do Hamas estão sob custódia de Israel e 46 já foram interrogados. As forças de segurança pretendem indiciar outros 70 suspeitos.