Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

quarta-feira, 24 de junho de 2015

Tempos finais: Número de mortos em onda de calor no Paquistão supera 450

A maioria das mortes aconteceu em Karachi, a maior cidade do país.
Temperatura alcançou 45 graus e houve corte de energia e água.


Mulher abana filho do lado de fora de hospital em Karachi, no Paquistão, nesta terça-feira (23), em meio a onda de calor que já matou centenas de pessoas no país (Foto: Akhtar Soomro/Reuters)
Mulher abana filho do lado de fora de hospital em Karachi, no Paquistão, nesta terça-feira (23), em meio a onda de calor que já matou centenas de pessoas no país (Foto: Akhtar Soomro/Reuters)

A onda de calor que afeta o sul do Paquistão matou mais de 450 pessoas nos últimos três dias, um balanço duas vezes maior que o divulgado anteriormente, anunciaram as autoridades.

A maioria das mortes aconteceu em Karachi, a maior cidade do país, com 20 milhões de habitantes, onde a temperatura alcançou 45 graus e muitos problemas foram registrados na rede de energia elétrica, o que afetou o fornecimento de água.

 
A onda de calor é similar a que afetou a vizinha Índia nas últimas semanas, a segunda mais importante da história do país e que deixou mais de 2.000 mortos.


"Mais de 450 pessoas morreram em consequência do calor intenso nos últimos três dias", afirmou à AFP o médico Sabir Memon, funcionário do governo da província de Sindh, que tem Karachi como capital.

Pelo menos 10 pessoas morreram fora de Karachi, segundo uma fonte da secretaria de saúde.

A onda de calor deixou outros 10 mortos ao norte, na província de Punjab. 


O porta-voz da Autoridade Nacional de Gestão de Catástrofes (NDMA), Ahmed Kamal, anunciou à AFP que o governo pediu ajuda ao exército e aos Rangers, uma força paramilitar, para ajudar as vítimas.

O governo de Sindh decretou estado de emergência nos hospitais, convocou os médicos que estavam de férias e aumentou os estoques de remédios.

Os efeitos da onda de calor coincidem com o Ramadã, durante o qual os muçulmanos praticantes permanecem em jejum entre o nascer e o pôr do sol.

G1
DeOlhOnafigueira


 

Nenhum comentário:

Postar um comentário