Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

quarta-feira, 2 de março de 2016

Boicote aos Judeus

https://encrypted-tbn3.gstatic.com/images?q=tbn:ANd9GcQMOzyFRA8ndwOFAb0LIHl1J1BYZfM33cINXsS4yU9DtQHigfsAig
Imagem: Eretzisraelmv.blogspot
Pouco tempo atrás, o Irã e o líder supremo, aiatolá Ruhollah Khomeini, pediram ao mundo muçulmano para boicotar tudo e qualquer coisa que tenha origem judaica; em resposta, Meyer M. Treinkman, um farmacêutico, se ofereceu para ajudá-los em seu boicote da seguinte forma:

Qualquer muçulmano que tenha sífilis não deve ser curado pelo teste de Wasserman que foi descoberto por um judeu, o Dr. Ehrlich. 

Muçulmanos que tenham gonorréia, não deveriam procurar o diagnóstico, porque estariam usando o método de um judeu chamado Neissner.

Um muçulmano que tenha uma doença cardíaca não deve usar Digitalis, descoberta por um judeu, Ludwig Traube.

Se ele sofrer com uma dor de dente, não deve usar novocaína, uma descoberta dos judeus, Widal e Weil.

Se um muçulmano tiver diabetes, não deve usar insulina, o resultado da pesquisa feita por Minkowsky, um judeu.

Se alguém tem uma dor de cabeça, deve evitar Pyramidon e Antypyrin, uma descoberta dos judeus Spiro e Ellege.

Muçulmanos com convulsões devem ficar assim, pois foi um judeu, Oscar Leibreich, que propôs o uso de hidrato de cloral.

Árabes devem fazer o mesmo com seus males psíquicos, porque Freud, pai da psicanálise, era um judeu.

Se uma criança muçulmana pegar Difteria, ela deve abster-se de usar o "Schick", que foi inventado pelo judeu Bella Schick.

Os muçulmanos devem estar prontos para morrer em grande número e não devem permitir o tratamento da orelha e danos cerebrais, trabalho do judeu ganhador do Prêmio Nobel, Robert Baram.

Eles devem continuar a morrer ou ficar aleijados por Paralisia Infantil, porque o descobridor da vacina anti-pólio é judeu, Jonas Salk.

Os muçulmanos devem se recusar a usar estreptomicina e continuar a morrer de tuberculose, porque um judeu, Zalman Waxman, foi o inventor dessa droga milagrosa contra essa doença mortal.

Médicos muçulmanos devem descartar todas as descobertas e melhorias feitas pelo dermatologista Judas Sehn Bento, ou o especialista em pulmão, Frawnkel, e de muitas outras de renome mundial cientistas judeus e especialistas médicos de renome mundial.

Muçulmanos devem permanecer aflitos com sífilis, gonorréia, doença de coração, dores de cabeça, tifo, diabetes, transtornos mentais, convulsões, poliomielite e tuberculose, e terem orgulho em obedecer ao boicote islâmico.

Ah, e por falar nisso, não chame um médico em seu telefone celular porque o telefone celular foi inventado em Israel por um engenheiro judeu.

Enquanto isso eu pergunto, que contribuições médicas para o mundo os muçulmanos fizeram? 

A população Islâmica é de aproximadamente um bilhão e duzentos milhões, ou 20% da população do mundo.

Eles receberam 7 Prêmios Nobel:

A população global judia é de aproximadamente 14 milhões, cerca de 0,02% da população do mundo.

Eles receberam 129 Prêmios Nobel!

Os judeus não estão promovendo lavagem cerebral em crianças em campos de treino militar, ensinando-os a fazerem-se explodir e causar mortes de judeus e outros não-muçulmanos.

Os judeus não seqüestram aviões, nem matam atletas nos Jogos Olímpicos, ou fazem explodirem-se em restaurantes alemães.

Não há um único judeu que tenha destruído uma igreja.

Não há um único judeu que proteste matando pessoas. Os judeus não fazem tráfico de escravos, nem têm líderes que peçam Jihad e morte a todos os infiéis.

Talvez os muçulmanos do mundo devam considerar investir mais em educação e deixar de culpar os judeus por todos os seus problemas.

Os muçulmanos devem perguntar o que podem fazer para a humanidade, antes de exigir que a humanidade os respeite.

Independentemente dos seus sentimentos sobre a crise entre Israel e os palestinos e seus vizinhos árabes, mesmo que você acredite que há mais culpa por parte de Israel, as duas frases seguintes realmente dizem tudo:

- Se os árabes depuserem as armas hoje, não haveria violência nunca mais.
- Se os judeus depuserem as armas hoje, não haveria mais Israel. 

Benjamin Netanyahu disse: o General Eisenhower advertiu-nos. 

É uma questão de história que, quando o Comandante Supremo das Forças Aliadas, General Dwight Eisenhower, encontrou as vítimas dos campos de extermínio ordenou todas as fotografias possíveis de serem tomadas, e que os alemães das cidades vizinhas fossem guiados através dos campos de concentração, e ainda os fez enterrar os mortos.

Ele fez isso e disse: "Tenham tudo documentado - obtenham os filmes - obtenham as testemunhas -, porque em algum lugar, no caminho da História, algum bastardo se erguerá e dirá que isto nunca aconteceu “

Recentemente, no Reino Unido, ocorreram debates para remover o Holocausto dos currículos escolares porque'ofende' a população muçulmana, que afirma que ele nunca ocorreu.

Ele não foi removido. Ainda. No entanto, este é um presságio assustador sobre o medo que está atingindo o mundo, e o quão facilmente cada país está dando para ele.

É agora, mais de 65 anos após a Segunda Guerra Mundial na Europa ter terminado. Agora, mais do que nunca, com o Irã, entre outros, sustentando que o Holocausto é um mito, é imperativo assegurar que o mundo nunca esqueça o Holocausto.

Quantos anos irão passar para que se pense que o ataque ao World Trade Center 'nunca aconteceu' , porque ofende alguns muçulmanos nos Estados Unidos?

Carlos I. S. Azambuja é Historiador
 
Alerta Total
DeOlhOnafigueira

Nenhum comentário:

Postar um comentário