Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

sexta-feira, 14 de outubro de 2016

ONU decide que não há "conexão" entre os judeus e o Monte do Templo

 
A Unesco [Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura Nações Unidas] anunciou nesta quinta-feira que o Monte do Templo, em Jerusalém, "não tem conexão" com os judeus.

Essa resolução associa somente nomes muçulmanos aos locais sagrados de Jerusalém. Vinte e quatro países-membros assinaram o documento e 26 se abstiveram. Apenas EUA, Reino Unido, Lituânia, Holanda, Estônia e Alemanha votaram contra.

Essa determinação foi concluída durante um encontro em Paris, reiterando uma votação similar realizada em abril. Ao desconsiderar os laços históricos de Israel com o local, a ONU virtualmente entrega o Muro Ocidental [Muro das Lamentações] aos palestinos.

A decisão foi classificada pelo governo israelIsrael como "antissemita e absurda", sendo severamente criticada pelo que chama de "abusos provocativos que violam a santidade e a integridade" da área.

Esse é mais um duro golpe diplomático contra Israel. Há alguns meses, o Túmulo de Raquel, perto de Belém, e a Caverna dos Patriarcas em Hebrom, foram entregues pela ONU na mão dos palestinos.

Na ocasião, a proposta incluía o Muro das Lamentações, considerando-o uma extensão da mesquita de al-Aqsa. Contudo, foi retirado da proposta final por pressão de países aliados de Israel. Um ano depois, a proposta foi aceita.

O primeiro-ministro de Israel Benjamin Netanyahu protestou contra a decisão da ONU. "O teatro do absurdo continua com a UNESCO. Hoje, a organização tomou sua decisão mais bizarra, dizendo o povo de Israel não possui nenhuma ligação com o Monte do Templo e o Muro das Lamentações. Obviamente, eles nunca leram a Bíblia”, disparou.

Netanyahu foi além e pediu aos membros da UNESCO que visitem o Arco de Tito, em Roma, onde poderão ver o que os romanos levaram para Roma após terem destruído e saqueado o Monte do Templo dois mil anos atrás. Segundo o primeiro-ministro israelense, poderão ver gravado no Arco, o menorah de sete braços, que é o símbolo do povo judeu, bem como o símbolo do Estado judaico hoje. 
 
Jerusalem Post
DeOlhOnafigueira

Nenhum comentário:

Postar um comentário