Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

terça-feira, 14 de junho de 2016

Rabino mor de Jerusalém anseia pela reconstrução urgente do Templo de Jerusalém

 
Segundo o rabino-mor de Israel David Lau, a estrutura poderia ser edificada no topo do Monte do Templo, sem necessidade de remover os santuários islâmicos.
 
É exatamente isso em que acredito também. Todos quantos me acompanham nas minhas regulares excursões com grupos a Israel têm-me ouvido sempre afirmar lá no cimo da esplanada que, ao contrário do que muitos imaginam e têm dito, não há qualquer necessidade de destruir o "Domo da Rocha", uma vez que não só isso iria ser o rastilho para uma guerra com todo o mundo muçulmano, como há um enorme espaço no recinto completamente livre para a edificação de uma enorme construção judaica, sem prejuízo dos 2 santuários islâmicos ali presentes e que ao longo de séculos têm conspurcado aquele lugar.

O rabino de origem ashkenazi - um dos mais influentes em Israel - afirmou nesta passada Terça-Feira que gostaria de ver o Templo judaico reerguido no Monte do Templo, em Jerusalém.

Para a construção do mesmo, não há necessidade de remover qualquer santuário muçulmano no Monte do Templo, onde há espaço mais do que suficiente "para judeus, cristãos, muçulmanos, todos" - revelou David Lau ao canal do Knesset na Terça-Feira passada. 

"Não posso dizer-vos exatamente o que existia dentro do Templo, mas a verdade é que quando olhamos para os profetas, as Escrituras, as afirmações dos sábios, percebemos que quem quer que lá entrasse, voltava cheio de inspiração, emoção, alegria e satisfação, por isso anseio por esses dias" - afirmou o rabino.

O Monte do Templo é o local mais importante para o judaísmo, uma vez que ali existiram 2 Templos nos tempos bíblicos e pós-bíblicos. Nos dias atuais, a mesquita Al-Aqsa, o terceiro lugar mais sagrado para o islamismo, situa-se na parte sul do Monte, e o "Domo da Rocha" na parte central do mesmo. 

A posse e domínio deste espaço é o pomo de discórdia mais sensível e perigoso em todo o conflito israelo-árabe, podendo qualquer ação despoletar conflitos de consequências inimagináveis. Os atos terroristas cometidos recentemente por palestinianos têm muito a ver com a alegada pretensão judaica de mudar o status quo do local, algo que o primeiro-ministro tem constantemente impedido, chegando ao ponto de proibir os membros do Knesset de subirem ao Monte, uma decisão muito contestada pelos "zelotes" judeus dispostos a iniciar a qualquer momento reconstrução do Templo.
 
Quem dera que este incentivo do rabino-mor de Israel apresse a concretização do velho sonho da maioria do povo judeu!
 
Shalom Israel Shalom
DeOlhOnafigueira

Nenhum comentário:

Postar um comentário